terça-feira, 20 de abril de 2010

Para ti e para eles....




Entre o fado das nossas vidas
E as noites também passadas
Foge de mim vento que assobia
Ou levas duas lambadas
Tremidas de mãos de trabalho
De passos seguidos de sonhos
Que se vão agora mesmo deitar
Nesta tarde tão calma de vida
Aos teus pés me descalço
Percorrendo a estrada com só ida
Vou em pequenos sobressaltos
Caminheira da Lua
Minha companheira
De tantos fados
Hoje o dia alimenta
O sonho ou a fantasia
Esta vida por vezes ciumenta
Atira fora o grasnar da cotovia
O teu olhar humedecido pela demora
Os teus ouvidos com zunidos de aviões
Vou então descrever por palavras
O que tenho sentido nas emoções
Um passageiro errante na vida entra
Deixando marcas de sangue e de terror
Mas com a tua força seja ela valente
Vou gritar e acabar com este clamor

4 comentários:

  1. FOGE DE MIM, VENTO QUE ASSOBIAS...TAMBÉM NÃO GOSTO DO VENTO A ASSOBIAR...
    PARA TI E PARA ELES... QUE BONITO, LUÍS!
    PARABÉNS E JINHOS DA MÃE E AVÓ.

    ResponderExcluir
  2. Lindo meu amigo, nostálgico mas belo. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Me encantam os teus versos e a música da Mariza!

    Um beijo e boa semana.

    ResponderExcluir